A+ A A-

"SOMENTE OS BÁRBAROS PODEM SE DEFENDER"- A edição nº. 201 da REVISTA CULT

Publicado, na REVISTA CULT de maio de 2015, edição nº. 201, o ensaio de minha autoria intitulado "SOMENTE OS BÁRBAROS PODEM SE DEFENDER", o trigésimo oitavo texto escrito diretamente aqui dos Estados Unidos. Eis o link para um trecho do meu ensaio a partir do site da REVISTA CULT: http://revistacult.uol.com.br/home/2015/05/somente-os-barbaros-podem-se-defender/. A CULT de maio já está nas bancas aí do bom e velho Brasil, pessoal.

Meus amigos,

A edição nº. 201 da REVISTA CULT (maio de 2015) acaba de publicar um ensaio de minha autoria intitulado "SOMENTE OS BÁRBAROS PODEM SE DEFENDER".

Há 70 anos, o Terceiro Reich se ajoelhava diante do Exército Vermelho e assinava sua capitulação incondicional. O fim da Segunda Guerra Mundial, no entanto, logo daria vazão à Guerra Fria.

A iminência da hecatombe nuclear, por meio de um paradoxo demasiado humano, acirrou a possibilidade de aniquilação do mundo na mesma medida em que, no ápice da desrazão, inviabilizou (até o presente momento) a Terceira (e última) Guerra Mundial.

Da (im)possibilidade de erradicação total da humanidade irrompe a metástase da guerra civil, em meio à qual "SOMENTE OS BÁRBAROS PODEM SE DEFENDER". Aqui está um link para trechos do texto a partir do site da REVISTA CULT: http://revistacult.uol.com.br/home/2015/05/somente-os-barbaros-podem-se-defender/.

Gostaria muito de agradecer à editora-chefe da CULT, Daysi Bregantini, pela recepção entusiasmada em relação ao meu trabalho. Muito obrigado pela confiança, Daysi, é um grande prazer ver mais esse texto na CULT, revista que acompanho com muito interesse há tantos e tantos anos e que, em junho de 2015, fará 18 anos, pessoal!

Aqui estão os tópicos que compõem a revista CULT de maio, pessoal:

- Dossiê: "Psicanálise: marginal?" - Coordenados por Nina Leite e Ricardo Goldenberg, psicanalistas criam doze novos verbetes e discutem teoria e prática dos consultórios;

- Entrevista: Frei Betto, em conversa com Manuel da Costa Pinto, fala de sua grande paixão, a literatura, e da falta de utopia e de projeto no mundo de hoje;

- Cinema: Obra de Julio Bressane ganha retrospectivas nacionais e internacionais, por Luis Carlos Oliveira Jr.;

- Perfil: Amigos de Hilda Hilst falam sobre a convivência com a escritora na Casa do Sol, em Campinas, e recordam seu legado fraterno e literário, por Helder Ferreira;

- Ensaio: Os 70 anos do fim da Segunda Guerra e o começo da dramática guerra do cotidiano, por Flávio Ricardo Vassoler.

Já nas bancas!

Leia trechos do conteúdo da revista no site da CULT: http://revistacult.uol.com.br/home/category/edicoes/201/


Um abraço a todos,

Flávio Ricardo Vassoler

Avalie este item
(1 Voto)
Flávio Ricardo Vassoler

Flávio Ricardo Vassoler, escritor e professor, é mestre e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela FFLCH-USP, com estágio doutoral junto à Northwestern University (EUA). É autor das obras literárias Tiro de Misericórdia (nVersos, 2014) e O Evangelho segundo Talião (nVersos, 2013) e organizador do livro de ensaios Fiódor Dostoiévski e Ingmar Bergman: O niilismo da modernidade (Intermeios, 2012). Periodicamente, atualiza o Portal Heráclito, www.portalheraclito.com.br, página em que posta fragmentos de seus trabalhos literários, os programas do Espaço Heráclito e fotonarrativas de suas viagens pelo mundo.

voltar ao topo