A+ A A-

Dois Mundos

Imagem Divulgação Imagem Divulgação

Na minha confusão

Entram pensamentos em tumulto,

Saem sentimentos que transbordam do coração,

Mas tudo sem fica oculto.

 

Fica escondido dentro de mim.

É o segredo que carrego comigo,

A mais fina gardênia de meu secreto jardim

Que conforta em seu desabrigo.

 

Entre dois mundos,

De dia pisando no paraíso e ao anoitecer no inferno.

As coisas se transformam em frações de segundos

Onde o pré-histórico vira ultramoderno.

 

Tocada por um fogo abrasador

Deixo-me ao extremo consumir

Para depois entregar ao esgotamento redentor,

Apenas pela necessidade suicida que tenho de explodir e expandir.

Avalie este item
(1 Voto)
Vivi Cabrera

É formada em Jornalismo pela FIAM-FAAM, cursa licenciatura de Geografia e Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior na Faculdade Campos Salles. É autora do livro Flores do Asfalto – histórias de duas favelas paulistanas, pela Editora Futurama e arrisca crônicas, contos e poesias de vez em quando.

voltar ao topo